Visitante

Olá visitante. Cadastre-se | Entre | Esqueci minha senha

OK Esqueci minha senha


Você está em: Sobrenatural.Org -> Matérias Especiais -> Evocando Espíritos


Matérias - Enviado dia 28 de Maio de 2013

Evocando Espíritos

Tetragrama nos ensina um pouco sobre a magia cerimonial e seus perigos.



O homemem todas as épocas da historia sempre sentiu um interesse pela magia. O desconhecido fascina o homem. O oculto foi e sempre sera uma constante incógnita que impulsiona o homem a buscar conhecer e entender esse maravilhoso mundo do além É nesse mundo oculto onde buscamos respostas para as questões mais importantes da nossa existência Todos nós temos de forma latente como algo inerente a nossa natureza uma inquietude espiritual como se uma parte de nós buscasse retornar a sua origem. É essa inquietude que nos impulsiona a buscar constantemente por algo que não sabemos ao certo o que é, mas que com certeza é aquilo que nos falta para preencher o espaço vazio que existe dentro de nós e que nos torna incompletos para uma vida plena.

Minha definição de magia é em essência conhecimento e reconhecimento daquilo que já sabemos mas desconhecemos que sabemos. É retornar as nossas origens como seres espirituais com conhecimento do bem e do mal. Sua definição a grosso modo é a arte de agir, moldar e transformar a natureza a nossa volta pelo poder da vontade, seja por procedimentos externos ou potencialidades internas. A primeira representada pela magia cerimonial e invocatória e a segunda pela iniciação espiritual. Temos então, a baixa magia, não no sentido de inferior, mas sim de estagio primário e primitivo. E a alta magia ou teurgia que pertence a um estado elevado reservado apenas aos iniciados que caminham pela senda da iluminação espiritual. Magia cerimonial não contem em si a teurgia. É, portanto, magia objetivamente invocatória que nos coloca em contato com os seres espirituais, sejam estes bons ou maus. É, portanto, através desta que provem todo conhecimento mágico inferior (não no sentido de negativo mas no de atuação) adquirido no passado e que chega até nós das mais diversas formas sejam em teoria ou pratica.

Sem duvida que a magia cerimonial é uma ciência que oferece perigos e não poucos. Entrar em contato com seres espirituais das mais diversas esferas evolutivas é algo arriscado. O fato de não possuirmos capacidades cognitivas suficientes para uma apreciação consciente da multiplicidade de seres do plano espiritual torna-nos vulneráveis para influencias negativas e nefastas. E não poucas vezes é o que ocorre. Por isso é de bom senso aos que almejam iniciar nesse caminho extrema cautela. Qualquer erro pode trazer serias consequências e algumas destas irreparáveis.

Éramos um grupo de 7 pessoas. Partilhávamos em comum o interesse pelo oculto e nos reuníamos quinzenalmente para discutir sobre magia. Havia tempos que tínhamos o desejo de realizar um ritual de invocação. Era um procedimento que nos atraia muito. Estar frente a frente com uma entidade era um desafio irresistível. Nenhum de nós  havia passado por essa experiência antes e estávamos ansiosos para isso. Já à alguns meses iniciamos os preparativos referentes ao procedimento de acordo com a Clavícula de Salomão tomando o cuidado para que tudo fosse feito o conforme as instruções do grimório. A mim coube confeccionar o circulo de proteção no chão do local onde seria realizado o ritual. Minuciosamente desenhei o mais fiel possível todos os pormenores deste circulo, o que levou algumas semanas de trabalho artístico. Cada um cuidou de uma parte do ritual providenciando tudo o que fosse necessário. E logo tudo estava pronto para o ritual. Restava apenas escolher qual espírito iríamos trabalhar. Escolhemos o espírito Bune. Bune é um espírito que comumente é amigável e tranquilo ao ser chamado. É o vigésimo sexto espírito é Bune, Bime, ou Bim. É um forte duque, grande e poderoso. Ele aparece na forma de um dragão com três cabeças, uma como um cão, uma como um Grifo, e uma como um homem. Ele fala com uma voz elevada e comedida. Ele altera o lugar onde estão os mortos, e faz os espíritos que estejam sob seu comendo ascender acima dos sepulcros. Ele torna o homem rico, e o faz sábio e eloquente. Ele responde corretamente qualquer coisa que lhe for requisitado. Governa 30 legiões de espíritos. Bune é um Espírito do Dia. Bune ajuda a adquirir riquezas e oferece sofisticação e sabedoria mundana. Ela dá facilidade de expressão. Bune também muda os lugares dos mortos. Apesar disso convém saber se tal espírito quer ser invocado. Porque no fundo nenhum espírito por mais que se diga ao contrario pode ser obrigado a atender o chamado daquele que o invoca. É preciso que ambas as partes partilhem do mesmo desejo. Quando isso acontece o ritual é em si um grande sucesso. Partindo desse principio de reciprocidade que deve haver entre invocado e invocador, podemos e devemos criar um elo de simpatia sempre que desejar entrar em contato com alguma entidade. O elo simpático entre entidade e invocador é muito importante tanto para o sucesso do ritual quanto para o bem estar e segurança do invocador. Uma entidade simpática ao invocador esta sempre bem disposta a atendê-lo, a auxiliar no desenvolvimento do ritual, a orientar e alertar sobre falhas e o modo correto de corrigi-las e ate mesmo zelar por sua segurança. Assim o ritual não se torna algo tão perigoso. Infelizmente esse detalhe passa despercebido pela maioria daqueles que se aventuram pela magia cerimonial e que muitas vezes acarreta em fracasso e não raro em experiências assustadoras e nefastas. Necessariamente aconselho a criar esse elo de simpatia antes do ritual ser realizado. Esse elo é feito da seguinte forma: numa cartolina branca desenhe o selo do espírito a ser evocado. Realize-o da melhor forma possível e enquanto o desenha recite o mantra de invocação do espírito. Imagine que da sua mão sai uma energia luminosa e essa energia passa ao lápis e do lápis ao traçado do desenho como se o carbono do lápis inscrito na cartolina brilhasse. Faça assim ate que todo o desenho do selo esteja pronto. Em seguida coloque sobre o selo uma vela da cor correspondente ao espírito e a ascenda. Concentre-se no selo e diga em voz alta “Espírito  ...N (diga o nome do espírito), seja propicio a mim e atenda ao meu chamado, mostra-me um sinal da tua aprovação para que eu tenha sucesso quando o invocar”. Continue se concentrando no selo e repetindo mentalmente essa oração. Deixe que a vela queime ate o fim. À noite quando for dormir. Concentre-se no selo do espírito recitando mentalmente o seu mantra ate adormecer. O espírito lhe dará um sinal através de sonhos de que ele lhe aprova. Isso pode ou não demorar alguns dias, mas se ele lhe aprovar o sinal vira em ate 7 dias. O sinal pode ser dado de varias formas e varia de pessoa para pessoa. Algumas são tiradas do corpo físico consciente e tem dessa forma uma experiencia com o espírito. Outras têm um sonho lúcido ou ainda uma voz em sua

mente. Seja qual for a forma, o sinal de aprovação lhe sera dado. Quando isso acontecer deve proceder da seguinte forma: trace o selo do espírito no chão com um giz branco antecipadamente consagrado ao espírito ( no selo desenhado na cartolina, coloque o giz no meio e diga em voz alta “consagro esse giz a ti espírito..N), após desenhar o selo seguindo o mesmo principio do feito na cartolina pegue uma garrafa de vinho de boa qualidade e derrame sobre o selo enquanto diz “Espírito...N pelo sinal que me deste ofereço a você poderoso....N esse vinho como sinal de agradecimento, se desejar outra bebida, mostra-me qual é do seu agrado”. Caso o espírito aprecie uma outra bebida ele ira lhe mostra, seja por sonho ou qualquer outra forma. Então repita o procedimento oferecendo-lhe a bebida desejada. Uma dia antes do ritual repita esse procedimento pedindo para que atenda ao ritual. Com esse procedimento criamos um elo simpático com o espírito que certamente concorrera de boa vontade ao ritual quando este for realizado.

O simples interesse pela magia cerimonial naturalmente nos leva a conhecer alguns livros sobre o assunto. Os mais famosos são as Clavículas de Salomão e Grimório Verum. São livros de magia cerimonial que apesar de especificamente serem destinados para a invocação de espíritos goéticos ou em outras palavras classes de demônios, pode-se utilizar os  mesmos procedimentos para entrar em contato com qualquer ser espiritual. Então, se desejar invocar um anjo, pode-se usar sem nenhum problema os mesmos procedimentos. A classe dos demônios goeticos num total de 72 espíritos são os mais dispostos a concorrerem  as essas invocações. Arrisco a dizer que alguns esperam ansiosos para isso. Portanto, algumas coisas estranhas podem acontecer quando nos interessamos por esse assunto e já no primeiro contato com esses livros coisas curiosas podem acontecer. Por exemplo, muitas vezes no decorrer da leitura surge algum inseto, normalmente um besourinho verde começa a rodeá-lo, mesmo estando com o recinto todo fechado ele surge não se sabe de onde. É sinal que seu interesse chegou e foi percebido nas esferas destes seres. Este inseto nada mais é do que um dos inúmeros espíritos que servem a essas entidades e que foi enviado para analisar suas potencialidades. Outras vezes, se tem sonhos semi-conscientes com alguma dessas entidades que surgem nas formas descritas nesses livros, quando não idênticas, possuem  algumas de suas características Em algumas raras ocasiões podem ocorrer algumas perturbações na residência. Em todo caso, situações estranhas podem acontecer quando se tem interesse real por esse assunto. E isso não deve ser motivo de maiores preocupações. Porque assim como temos interesse por essas entidades essas são recíprocas no interesse por nós.

Alguns dizem que o circulo mágico não é necessário ser construído como campo de proteção, e que pode ser substituído por um circulo de luz criado pela imaginação. Eu aconselho que isso não seja feito. Uma entidade goetica quando é invocada nunca vem sozinha, ela vem acompanhada por todas as legiões de espíritos que comanda. Esses espíritos não participam do ritual mas são percebidos ao redor. Um circulo de proteção criado pela imaginação apesar de ter o efeito desejado pode não resistir caso ocorra algo errado. Mesmo sendo trabalhosa a confecção física do circulo mágico vale a pena pela segurança que ele fornece.

Embora seja dito que o circulo deva ter o diâmetro de 9 pés [2,97m], a verdade é que muitas pessoas simplesmente não dispõem de um espaço grande os suficiente para seus rituais. O tamanho só é importante no tocante de ter-se liberdade o suficiente de movimentação. A serpente enroscada só é mostrada em alguns casos, os nomes hebraicos na maioria das vezes são simplesmente escritos em forma espiralada entre os dois círculos. Devemos lembrar que, ao contrario do português, o Hebraico e sempre da direita para esquerda. Estes nomes são os nomes divinos ou de Anjos e Arcanjos identificados pelos cabalistas como pertencentes a cada uma das nove primeiras Sephiroth ou emanações divinas. As pequenas cruzes de Malta são usadas para marcar separação. A Tradução para o português corrente começando da cabeça da serpente é:

Clique aqui para continuar lendo o artio.

 


Avalie Comente Marque como Favorito Recomende
Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br

Opiniões

1 Comentário(s).

Mostrando Opiniões




Comente

Somente usuários logados podem enviar opiniões...

Você já é um usuário cadastrado no site Sobrenatural.Org? Se sim, faça seu login abaixo. Caso contrário, clique aqui para efetuar o cadastro.

QUEM ENVIOU ESTE CONTEÚDO:

(TETRAGRAMA) viagemalem@gmail.com

(TETRAGRAMA) viagemalem@gmail.com

Esotérico, ocultista, amante das artes e sobrenatural. Autor dos livros "Manual Prático de Viagem Astral" disponível no clube dos autores e amazon kindle e "Praticas Ocultas" disponível no clube dos autores e google play.


NOSSO CANAL NO YOUTUBE


NOSSO BLOG



PUBLICIDADE

PRODUTOS DA LOJA SOBRENATURAL

DIRETO AO ASSUNTO

INTERATIVAIDADE

http://bs.serving-sys.com/BurstingPipe/adServer.bs?cn=tf&c=19&mc=imp&pli=8942288&PluID=0&ord=[timestamp]&rtu=-1